Em reunião ocorrida na manhã desta terça-feira, dia 09, na porta da Empresa Conserv, os garis da cidade de Patos relataram ao Sindicato dos Trabalhadores na Limpeza Urbana da Paraíba (SINDLIMP/PB) que situação para continuar os serviços de coleta e varrição estão quase que impossíveis de continuar.

Os trabalhadores disseram que não está havendo depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o pagamento das férias não ocorreu para cerca de 20 garis, o salário não vem sendo pago até o 5º dia útil do mês e ainda existem condições de trabalho que deixam a desejar, tais como caminhões sem manutenção e Equipamento de Proteção Individual (EPI) em falta, etc.

Nesta segunda-feira, dia 08, os garis comentaram que um caminhão de coleta que estava locado à empresa foi recolhido por falta de pagamento. Tudo foi dito ao presidente do SINDLIMP/PB, Radamés Candido, e para o diretor João Félix. O aluguel do prédio que sedia a Conserv também estaria com aluguel atrasado.

Na manhã desta terça-feira, os diretores do SINDLIMP/PB foram recebidos pelo prefeito interino Sales Júnior (PRB). Sales falou por telefone com a redação do Patosonline.com e disse que medidas duras contra a empresa podem ser tomadas, pois a Prefeitura Municipal de Patos vem honrando com o acordo celebrado para o pagamento de parcelas que foram deixadas em atraso. “A gestão Bonifácio Rocha vinha pagando diariamente a empresa. Não se justifica atraso nos direitos dos trabalhadores”, comentou Sales.

Os trabalhadores fizeram acordo para esperar o pagamento dos salários referentes ao mês de março até a próxima quinta-feira, dia 10. O clima é de muita insatisfação e a prefeitura pode rescindir o contrato com a Conserv caso a situação permaneça como está.

 

 

Jozivan Antero – Patosonline.com

Comentários

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here